Tipos de parto: conheça suas características e diferenças

Do parto natural à cesárea com intervenções, é importante debater com médicos e demais profissionais que estejam te acompanhando durante a gestação a melhor forma de garantir o bem-estar da mamãe e do bebê

Esperando meu Bebê

regenesis-site-mulher-e-gestacao-tipos-de-parto

Parto: um processo natural

O parto é o marco inicial da relação física entre o bebê e seus cuidadores, marcando o início da construção dos vínculos familiares. Por isso mesmo, o momento deve ser vivido ao máximo por todos, como comenta a Ginecologista e Obstetra Mariana Rosário. “Muito se fala sobre o parto humanizado, mas, na verdade, todos os tipos de parto devem seguir esses mesmos princípios. Por exemplo, uma mãe que passa por cesárea também deve ficar com o bebê na primeira hora após o nascimento, a chamada golden hour, já que isso traz inúmeros benefícios para ambos”, explica.


VEJA MAIS


Humanizado, normal, fórceps ou cesárea?

Os tipos de parto variam de acordo com a via por onde o bebê sai e pelo grau de intervenção médica no processo, indo do natural (sem nenhuma intervenção de instrumentos ou medicação) à cesárea, quando o bebê nasce a partir de uma cirurgia.

Partos vaginais

Tanto o parto normal quanto o natural ocorrem quando há dilatação total do colo do útero e o bebê encaixa para nascer. A diferença é que, enquanto o parto normal pode fazer uso de medicações e intervenções como a episiotomia (o corte realizado para ampliar o canal de parto e acelerar o processo), o parto natural não tem nenhum tipo de intervenção, tudo “segue o curso da natureza”. Já o parto com fórceps é um procedimento em que é usado um instrumento – o fórceps – para auxiliar a saída do bebê pelo canal da vagina.

Partos cesárea

Por sua vez, a cesárea é uma intervenção cirúrgica que extrai o bebê por uma série de cortes feitos na região pélvica. “Como toda cirurgia, a cesárea precisa de uma indicação, mas é fundamental o diálogo entre médico e paciente. Hoje, a comunidade médica já considera como indicação a vontade da mãe, já que nem todas têm estrutura física e psicológica para suportar a dor e o desgaste de um parto normal, por exemplo”, comenta a obstetra.

Mudança de planos

Mesmo que a mãe tenha preferência por um parto normal ou natural, longas horas de trabalho de parto, baixo líquido amniótico e sofrimento fetal são alguns dos fatores que podem direcionar a decisão médica de optar pela cesárea, mesmo no meio do processo. “Como médicos, devemos prezar pelo bem-estar da paciente e do bebê. Por isso é necessário avaliar, durante o trabalho de parto, se o caso é de converter o procedimento em uma cesárea e conversar com a mulher sobre isso para lidar com as frustrações dela”, explica a Dra. Mariana Rosário.

Por isso é fundamental contar com o apoio de uma equipe multidisciplinar: além da médica, uma enfermeira obstétrica, uma fisioterapeuta e até mesmo uma doula podem apoiar a grávida e auxiliar no trabalho de parto. “O acompanhamento, durante toda a gestação, por uma fisioterapeuta para o fortalecimento do assoalho pélvico também aumenta as chances de um parto tranquilo”, aponta a Obstetra.

regenesis-site-mulher-e-gestacao-parceiros-dra-mariana-rosario

Dra. Mariana Rosario é Médica Ginecologista e Obstetra e atua em São Paulo (SP). Em seu perfil no Instagram ela aborda os mais variados assuntos sobre gestação. Acompanhe: @dramariadorosariogineco


 
Conheça a nossa linha de produtos e
encontre a farmácia mais próxima de você.

 

06-03-2020
o que é parto humanizado parto cesárea parto cesáreo parto cesario parto empelicado parto humanizado parto induzido parto na agua parto natural parto normal ao vivo parto normal vídeo quais os tipos de parto quais são os tipos de parto tipos de parto tipos de parto e cuidados de enfermagem tipos de parto ministério da saúde
Comentar

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *