Controlar o peso na gravidez mantém bebê e gestante saudáveis

Confira as recomendações da Obstetra e Ginecologista Dra. Camille Rocha Risegato para garantir o aumento ideal de peso durante a gestação

Corpo & SaúdeMitos & VerdadesNutrição & Alimentação

regenesis-site-mulher-e-gestacao-peso-na-gravidez-1

Será que cuidar do peso na gravidez é assim tão importante? E é verdade aquela história de que a grávida deve comer por dois? De acordo com a Ginecologista e Obstetra, Camille Rocha Risegato, muito além dos mitos, o assunto merece ser tratado com cuidado, afinal, ao longo da gravidez, uma série de fatores afeta diretamente o ganho de massa da mulher. 

“Nos primeiros meses, é comum a gestante sofrer com náuseas e vômitos, e até perder peso por conta disso. Já a partir do quinto mês, ela começa a se sentir melhor e a ter mais fome. Na fase final, agora um pouco mais cansada, a barriga grande pressiona o estômago e ela tende a comer menos, mas aumenta o ganho de peso, porque o bebê está maior e também pesam o líquido e a placenta. Além disso, em alguns casos. por conta da ansiedade, a mulher pode sofrer com a compulsão alimentar. O cuidado, portanto, deve estar nos extremos, que podem afetar a saúde do bebê e da gestante”, ela explica.

Existe um ganho de peso na gravidez ideal para cada fase?

Para a Dra. Camille, vale a pena monitorar o aumento de peso durante a gestação, seguindo a seguinte recomendação, como parâmetro ideal:

• 1º trimestre: a mulher pode ganhar 200 gramas por semana (2.6 quilos);

• 2º trimestre: são 300 gramas por semana (3,9 quilos);

• 3º trimestre: de 400 a 500 gramas semanais (6,5 quilos).

Quando o peso na gravidez vira um problema?

Existem duas situações críticas associadas ao ganho e à perda excessiva de peso durante a gravidez:

  • Diabetes gestacional

É mais comumente diagnosticada a partir do sexto mês de gravidez. Ocorre uma alteração no metabolismo do açúcar da mãe, o que causa um ganho excessivo de peso do bebê e aumento importante do líquido amniótico. Além do desconforto para a gestante, o descontrole da doença pode levar ao óbito fetal. O acompanhamento pré-natal, nesses casos, é intensificado e deve incluir uma dieta especial e, por vezes, o uso de insulina.

  • Hiperêmese gravídica

Os enjôos comuns nos primeiros meses da gestação são conhecidos por êmese gravídica. Mas o descontrole dessa situação impede que a gestante consiga se alimentar e perca muito peso, o que é chamado de hiperêmese gravídica. Quando a perda é acima de 10% do peso original, o caso é grave e a paciente deve ser internada para repor alguns eletrólitos, medicações e líquidos.

Como controlar o peso na gravidez de forma saudável?

O famoso combo alimentação + exercícios adequados vale para todas as pessoas, incluindo, é claro, as gestantes. E de olho no desenvolvimento saudável do bebê e da mulher, a Dra. Camille destaca alguns cuidados fundamentais para uma gravidez tranquila. Confira!

Dieta equilibrada
De um modo geral, a dieta diária da gestante deve ser de 2 mil calorias,
rica em folhas, legumes e frutas das mais variadas possíveis. Vale também evitar gordura, além de alimentos condimentados, enlatados e embuti-dos, e não abusar do sal, nem do açúcar refinado. Caso a gestante
apresente um peso muito baixo ou muito acima do recomendável, um
nutrólogo ou nutricionista podem ajudar no pré-natal e receitar uma
dieta adequada.

Nutrientes em dia
Garantir a suplementação de ácido fólico é recomendado para o período pré-gestacional, pois evita a má formação do sistema nervoso do bebê. Já durante a gestação, ele deve ser associado a um polivitamínico que contenha principalmente ferro, pois nos primeiros seis meses do bebê, a reserva desse micronutriente vem da mãe, que precisa ter um bom estoque. Outro nutriente importante, de acordo com a Dra. Camille, é o Ômega 3, que está diretamente associado à diminuição do risco de restrição de peso e de trabalho de parto prematuro, à melhora do quociente de inteligência da criança e à diminuição do risco de depressão pós-parto.

Corpo em movimento
Para a Dra. Camille, fazer exercícios durante toda a gravidez é mais do que recomendado. Quem já pratica atividade física de baixo impacto pode mantê-la ao longo dos nove meses. Caso a gestante ainda não tenha esse bom hábito, após o quarto mês ela pode iniciar atividades como natação, hidroginástica, pilates e musculação, sempre com orientação de um profissional da área.

DICA!

Antes de mais nada

Controlar o peso, aliás, é uma boa forma de garantir a saúde antes mesmo de engravidar. Segundo a Dra. Camille, é recomendável que as tentantes mantenham o índice de massa corporal (IMC) correto, o que favorece a concepção. “Quando a paciente está obesa, por exemplo, com IMC acima de 30, que é obesidade grau 1, isso vai influenciar em muitos fatores, inclusive na fertilidade”, explica.


regenesis-site-mulher-e-gestacao-parceiros-dra-camille-rocha-risegato

Dra. Camille Rocha Risegato é Médica Ginecologista e Obstetra, especializada em patologia do trato genital inferior e na prevenção de câncer de colo de útero. Ela atua em São Paulo (SP).


Quer saber mais? Confira outras dicas da Dra Camille Rocha Risegato em nosso Instagram

12-08-2019
alimentação na gravidez diabetes gestacional gravidez saudável mulher e gestação peso na gravidez
Comentar

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *