Sexo na gravidez: pode ou não pode?

Mesmo com tantas mudanças e descobertas, as relações sexuais na gestação podem, sim, ser mantidas, como explica a Obstetra e Ginecologista Dra. Camille Rocha Risegato

Corpo & SaúdeMitos & Verdades

regenesis-site-mulher-e-gestacao-sexo-na-gravidez-1

É fato que cada gestação é única: as experiências diferem (e muito) entre as mulheres e com a libido não é diferente. Diante de tantas alterações de humor, é comum surgir o questionamento sobre a prática de sexo na gravidez.

A boa notícia é que, mesmo diante das mudanças, a vida sexual pode se manter saudável nesse período, como explica a Ginecologista e Obstetra Camille Rocha Risegato.

“O ato sexual não interfere em nada no bebê, seja em relação à posição ou ao tipo de atividade sexual. É algo extremamente saudável, além de muito bom para a mãe. Porque essa mãe estando bem, feliz e plena, vai liberar hormônios de prazer e de felicidade, e isso vai contribuir, também, por uma questão de compartilhamento de sangue e nutrientes, de uma forma positiva para o bebê”, destaca.

Variações de humor

A Dra. Camille também comenta que a libido pode variar ao longo da gestação: no primeiro trimestre, por exemplo, a mulher está passando por um processo hormonal importante, que além de favorecer náuseas, vômitos e desconforto, implica períodos de tristeza e agressividade.

“Isso, muitas vezes, faz com que o apetite sexual fique em segundo plano”, diz.

Nos meses finais da gravidez, é comum pensar que o ato sexual pode machucar o bebê ou provocar um trabalho de parto prematuro.

“Apesar de continuar a ser saudável, é muito comum diminuir a atividade sexual nesse período”, explica Camille.

Libido em alta

Para a doutora, é a partir do segundo trimestre, quando as alterações hormonais gravídicas parecem estabilizar e a mulher está adquirindo novas formas, contornos e curvas, como o aumento dos seios, por exemplo, que ela passa a se sentir mais bonita e o apetite sexual reaparece.

“Ao longo desses meses, a libido pode estar em alta e isso é excelente e saudável”, comenta.

De um modo geral, a mulher está mais sensível durante a gestação, por isso, o que ela precisa é se sentir acolhida.

Existe uma posição mais adequada?

Segundo a Dra. Camille, a posição para o momento da prática sexual é algo que o casal deve decidir, mas deixa a sugestão:

“Geralmente, é bom que a gestante esteja de lado e com uma almofada apoiando a barriga para dar mais conforto. Além disso, é importante que ela se sinta bem e, principalmente, não tenha dor durante ou depois do ato”.

Quando o sexo na gravidez deve ser evitado?

De acordo com a Dra. Camille Rocha Risegato, as únicas contraindicações de sexo na gravidez são em caso de trabalho de parto prematuro e de sangramento durante a gestação. “Além disso, vale reforçar que nos 40 dias após o nascimento do bebê, o sexo deve ser evitado, independentemente se o parto foi normal ou cesárea”, completa.
regenesis-site-mulher-e-gestacao-parceiros-dra-camille-rocha-risegato

Dra. Camille Rocha Risegato é Médica Ginecologista e Obstetra, especializada em patologia do trato genital inferior e na prevenção de câncer de colo de útero. Ela atua em São Paulo (SP).


Quer saber mais sobre o assunto? É só conferir outras dicas da Dra. Camille Rocha Risegato em nosso Instagram

12-08-2019
gravidez saudável libido em alta libido na gravidez mulher e gestação relação sexual na gravidez sexo na gestação sexo na gravidez
Comentar

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *